Asma grave: imunobiológicos serão disponibilizados gratuitamente no Brasil

Recentemente, eles ganharam cobertura dos planos de saúde e, em breve, serão oferecidos também na rede pública

A asma é uma doença pulmonar crônica que atinge cerca de 20 milhões de brasileiros, sendo que de 3% a 10% desse total apresenta a sua forma grave, que implica crises constantes e envolve a procura por serviços de emergência, internações hospitalares e passagens por unidades de terapia intensiva (UTI). As boas novas é que, desde abril, quem sofre da doença e possui planos de saúde já conta com a cobertura dos medicamentos imunobiológicos, de última geração, prescritos por um médico.

Recentemente, um desses tratamentos recebeu também parecer favorável da Comissão Nacional de Incorporação de tecnologias no Sistema Único de Saúde (Conitec), indicando que, em breve, estará disponível no SUS. A data da implementação ainda será determinada pela comissão. Essas novas perspectivas permitirão que todos os brasileiros que sofrem de asma grave tenham acesso gratuito a terapias modernas, tornando o tratamento mais preciso e personalizado.

Tratamento de ponta e mais acessível

“A asma é causada por uma inflamação das vias aéreas e entre os seus sintomas estão falta de ar ou dificuldade para respirar, sensação de aperto ou dor no peito, chiado e tosse, que dificultam, e muito, a vida do paciente”, explica Rafael Faraco, especialista em pneumologia e tisiologia pela Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT). Essa doença não tem cura, mas há medicamentos que permitem ao paciente uma vida normal. Porém, quando a doença não é controlada, há riscos de insuficiência respiratória ocasionando na morte. No entanto, aqui no Brasil, cerca de três a cinco óbitos por dia estão relacionados à asma. Normalmente, o tratamento é realizado à base de corticoides inalatórios (associados a outras medicações). Entretanto, os imunobiológicos vêm revolucionando esse cenário e oferecendo ótimos resultados, como redução das crises, internações e mortalidade, além da melhora na qualidade de vida.

Mudança de vida

Com o uso dos imunobiológicos, atividades simples e corriqueiras voltam a fazer parte do dia a dia das pessoas com asma, que se sentem mais independentes e confiantes.

Nunca é demais lembrar

O acompanhamento da doença e o retorno às consultas médicas são essenciais, já que dá um novo arsenal terapêutico disponível e gratuito. Além disso, os pacientes com asma grave foram priorizados pelo PNI (Programa Nacional de Imunização) para a vacinação contra Covid-19.